Biografia

O My Chemical Romance surgiu do underground americano para comandar o rock moderno no começo dos anos 2000. Seguindo a deixa trágica dos principais singles da banda, como Helena, I’m not okay (I promise) e Welcome to the black parade, a banda foi formada em uma catástrofe: o vocalista Gerard Way decidiu montar a banda após ver os atentados contra o World Trade Center em 11 de setembro de 2001. O baterista Matt Pelisser se juntou à banda uma semana depois, seguido de perto pelo guitarrista Ray Toro. O grupo fechou sua formação com o guitarrista Frank Iero e o irmão caçula de Gerard, Mikey Way.

O debute da banda, I brought you my bullets, you brought me your love, foi lançado em 2002 e foi bastante comparado com a banda Thursday, que também veio de New Jersey e misturava letras confessionais com agressividade pop punk. O disco gerou uma pequena base de fãs para o My Chemical Romance, que saltou para o mainstream em 2004 com o disco Three cheers for sweet revenge, que mesmo gerando reações mornas da crítica, angariou uma legião fiel de fãs por meio de singles potentes, como Helena, I’m not okay (I promise) e Ghost of you.

Pelissier saiu da banda em 2004 e foi substituído por Bob Bryar. A banda seguiu em turnê, ao lado de bandas como The Used, Alkaline Trio e até abriu alguns shows da turnê American idiot, do Green Day. Antes de partir para o segundo disco, a banda lançou a coletânea de raridades e filmagens ao vivo Life on the murder scene em 2006. No mesmo ano, a banda lançou o disco altamente ambicioso e conceitual The black parade, que trazia um Way com cabelo curto e platinado e a banda em um visual preto sóbrio, com roupas que lembravam fardas militares. Em 2008, a banda lançou o disco ao vivo Black parade is dead!.

Depois da extenuante turnê para o disco The black parade, a banda tirou um tempo para relaxar, especialmente os irmãos Way, que enfrentavam situações marcantes em suas vidas, com Mikey lidando com problemas de ansiedade relacionados à vida em turnê e Gerard se tornando pai. Com todas as mudanças, a banda decidiu que era hora de mudar seu estilo. Quando voltaram ao estúdio, resolveram transformar sua imagem gótica por algo novo e fresco, substituindo a atmosfera sombria de seus trabalhos anteriores por exuberância. A banda originalmente entrou em estúdio em 2009 com o produtor Brendan O’Brien, mas, insatisfeita com os resultados, se livrou do projeto e retornou ao produtor Rob Cavallo, que trabalhou em The black parade. Em 2010, chegou às lojas o disco Danger days: The true lives of the fabulous Killjoys, que mostra a banda em uma fase bem mais colorida, com Gerard ruivo brilhante e Mikey com o cabelo comprido e platinado.

A sonoridade também se transformou, ainda que bebendo bastante do pop punk, como sempre, o My Chemical Romance mirou em sintetizadores e beats na construção de um disco com um ar meio retro-futurista. Do disco, já saíram os singles Na na na e Sing, que, pelos clipes, contam a história dos Killjoys contra uma indústria maligna (a BL/ind) em um cenário pós apocalíptico.